O dia da Esfiha

24.09.16 

Beleza, ele pediu para que eu aparecesse no Toufic de manhã ou na Etec de tarde, hoje¹. Pela manhã fui para o curso de inglês, e agora estou aqui, na Etec Carapicuíba.
Quando cheguei fui direto para a região onde estavam as bancas com livros da "9 Primavera do Saber", e depois para a entrada da frente e a dos fundos para o auditório onde estavam passando as animações. Ele não estava em nenhum lugar destes.  
Saí daquele espaço e, fui em direção aos fundos da Etec pelo lado esquerdo, por fora. A intenção era seguir até o final e, por fim, cruzar o corredor dos banquinhos e ir ao lado direito da Etec, onde estavam as escadas de saída de emergência onde costumávamos conversar. Porém, virei no primeiro bloco, e entrei no Hall pela porta de fora.
Ele estava em uma das mesas de madeira com a Juliana e o namorado dela comendo alguma coisa do Habbibs que não prestei muita atenção. Lembro que tinha algo de carne (a cor da carne do habbibs é inconfundível) e alguns limões cortados em quatro partes. Acho que minha cara de espanto ao ver que ele estava acompanhado, e principalmente com a Juliana, foi muito notória porque ele me olhou com uma cara tipo "que foi? Achou que vim só por você?". Eles não pareciam surpresos, olharam para mim como quem olha para as visitas que chegam no dia do feriado sem avisar. Ele estava conversando e rindo, assim que cheguei parou de sorrir, ficou no ar um silêncio exorbitante (pelo menos na minha cabeça). 
- Vou terminar de comer e aí a gente conversa. Ta bom? - ele disse 
Ta bom. 
Acho que demorei alguns segundos para conseguir entender que deveria sair, porque eles começaram a olhar para mim como se esperassem que eu saísse para continuar a conversa. Saí. 
Me retirei do Bloco Um pela mesma porta que entrei, sem reação, e então segui até os fundos da Etec (que na verdade já era a Fatec) e sentei no penúltimo banco. Fiquei tentando achar algum tipo de entretenimento no celular, o que não teve sucesso. Então decidi ir para algum lugar em que eu pudesse ficar mais a vontade. Adentrei o espaço onde fica a cantina e segui até o Hall de entrada da Fatec, escolhi a mesa que me pareceu mais agradável e sentei. 
Aqui estou, achando que por algum motivo, talvez ele tenha pensado em me procurar depois que comeu. Em 30 minutos preciso ir embora, e, até optaria por ficar e conversar com ele, mas provavelmente ele se arrependeu de ter mandado aquela mensagem¹ essa noite.  
É horrível esperar por alguém porque, mesmo que durante esse momento você se distraia com algo, qualquer ruído que faça parecer uma pessoa se aproximando te dá a esperança de que é quem você espera. Mas nunca é. E então você fica nessa tortura constante, á espera de algo que que nunca vai acontecer. 

*Os nomes são figurativos.