quarta-feira, março 15, 2017

Você não precisa ser perfeito! - DIÁRIO #2

Por quê precisamos ser perfeitos?

Poucos meses atrás aceitei o fato de ter sido uma pessoa frustrada. Ao contrário do que muitos pensam, essa aceitação é maravilhosa. Entender porquê nos sentimos dessa forma nos leva, consequentemente, a mudar de pensamento, de atitude, e melhorar...

No meu caso, o que acontecia é que eu tentava fazer tudo do jeito mais perfeito possível em busca de reconhecimento. Seja um texto, um desenho, uma fotografia e até mesmo o jeito de tocar uma música. Não importava o que eu fizesse, TINHA QUE SER PERFEITO. E sabe, as coisas NÃO PRECISAM SER PERFEITAS!



Neste exato momento sinto meu coração doer, como se estivesse sufocado, ou algo do tipo. Não é gordura entupindo as veias arteriais, eu espero. É ansiedade. Se eu pudesse escolher algum sentimento para tirar de todas as pessoas no mundo, seria a ansiedade. Porque, de verdade, ela é o ponta-pé inicial desencadeador de todos os outros sentimentos ruins. E não, não existe ansiedade boa, não tem como isso ser algo bom.

Toda essa ansiedade por fazer tudo ao mesmo tempo, e realizar todos os objetivos de uma hora pra outra, me engole. Tento ameniza-la anotando meus pensamentos, para que eu relaxe ao invés de planejar meu futuro enquanto almoço, por exemplo. De qualquer maneira, ela é o tempero essencial na busca pela perfeição

Quando comecei a tentar - de uma forma concreta - organizar meu pensamentos, ideias e tudo sobre mim, comprei um caderninho com folhas quadriculadas e o chamei de BuJo - Bullet Journal -, já que, muitas pessoas usavam-no e diziam que funcionava. Assim que o abri, colei na contra-capa um post it verde que dizia "I can be not perfect" - eu posso não ser perfeita - e passei a usa-lo para organizar minha vida.

Sobre essa organização toda... por enquanto, tudo ok! (apesar de ainda estar em processo de adaptação). Mas, e quanto á ansiedade? Ás vezes acho que o BuJo mais atrapalha do que ajuda, mas entendo completamente que isso varia do jeito que o uso, então já estou mudando.

Ademais, lidar com a ansiedade da perfeição é uma bosta. Além de almejar tudo muito rápido, você tenta fazer tudo do jeito certo como se não pudesse errar nunca. Digo por mim mesma, isso te prende num ciclo onde você precisa suprir a necessidade desse mundo em ser perfeita no que faz o mais rápido possível.

Não posso fazer com que um sentimento deixe de existir, mas posso ao menos, tentar tranquilizar a minha geração, que assim como meu, são ansiosos (nem todos). Como dizia minha professora de sociologia, Débora (já terminei o ensino médio, mas ainda tenho muita consideração pelos que me ensinaram) e minha prima Giovana: nós somos muito jovens para nos desesperarmos com essas coisas; ainda temos muito o que viver; não precisamos passar na faculdade logo depois de nos formarmos da escola; não precisamos achar o emprego "perfeito" aos 18 anos; ainda temos muito pra cutir! 

Acima de tudo, precisamos relaxar mais, sem deixar de seguir nosso trajeto em busca do objetivo. 
Sem desespero.